Qual a importância do controle de qualidade dos aparelhos de raios-X?

Já imaginou qual deve ser a aflição de descobrir que seu ente querido teve um diagnóstico errado?

Quem nunca ouviu de um médico, a recomendação de fazer os exames em determinado local por conta da qualidade e do elevado conceito técnico do laboratório ou hospital?

Imagens de baixa qualidade podem induzir a erros nos laudos e no diagnóstico.

Por meio das aferições é possível constatar se os equipamentos estão dentro dos parâmetros estabelecidos pelos fabricantes. Aparelhos que apresentam desvios de qualidade produzem imagens de menor qualidade, que dificultam o diagnóstico médico o que pode exigir repetições desnecessárias de exames.

Ao refazer um exame por causa da má qualidade da imagem:

  • há desperdício de material
  • aumenta os custos com mão-de-obra
  • exposição desnecessária do paciente e equipe à radiação
  • desgaste desnecessário do equipamento
  • afeta negativamente a imagem da empresa.

O que pode parecer uma exigência burocrática é antes de tudo uma responsabilidade com a saúde.

Apesar de serem muitos os testes exigidos pelas instruções normativas da Vigilância Sanitária, tanto dos aparelhos, das salas e das vestimentas plumbíferas, o porquê de tudo isso é simples e fundamental: a segurança dos pacientes, acompanhantes e colaboradores envolvidos na realização dos exames.

Wallace Ap. de Lima

Físico Especialista em Radiodiagnóstico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fale Conosco via Whatsapp